Dalat e Nha Trang

Campos do Jordão está para São Paulo, assim como Gramado está para o Brasil, assim como Dalat está para o Vietnã. A Cidade de Inverno, A Cidade das Flores, a Cidade da Eterna Primavera, a Pequena Paris. Com direito à Torre Eiffel.
É o que eu digo, para que viajar para Paris? Você tem o Arco do Triunfo em Vientiane, baguetes maravilhosas em Luang Prabang, a Catedral de Notre Dame em Saigon e agora a Torre Eiffel em Dalat. E tudo por um quinto do preço do original. 😉

Chegamos em Dalat depois de 4horas de viagem desde Ho Chi Minh, fomos largados na rua às 6h da manhã, todos os hotéis fechados, fizemos nossa cama na rua no melhor estilo mendigo-chic. Quando andávamos na cidade no primeiro dia, sol quente, eu de shorts, Rômolo de bermuda, pensa na cena: Todo mundo na cidade andando com touquinha de frio, luvas, casacos com pelinhos, botinhas. Todas as lojas vendendo moletons, meias, protetores de orelha (!), luvas. Eu falei: “Esses caras só podem estar brincando né? Acho que eles querem pensar que faz frio aqui…” Ao cair da noite eu já calava a minha boca e já cogitávamos a aquisição de casacos para as nossas mochilas. Tomávamos um café e saía fumaça da nossa boca. Aliás, finalmente eu tomei sopa no frio! Durante a viagem eu estava evitando, porque 40graus e sopa não ornam para mim. E o Rômolo lá, suando! Em Dalat tudo começou a fazer sentido.

Dalat é o destino de inverno para muitos vietnamitas… Ou pelo menos o que eles consideram ser inverno. Tá, não faz calor à noite, mas faz um frio de inverno de São Paulo, vamos dizer, precisa de protetor de orelha? Mesmo assim gosto de ver o empenho das pessoas na rua do que deve ser a única oportunidade delas poderem vestir roupas de frio… hehehe…

A cidade é uma graça, diferente de qualquer outro lugar que pode ser encontrado no Vietnã. As ruas são ladeiras. Ladeiras! Desde o Brasil eu não via ladeiras. Sei que isso pode parecer normal, mas ladeiras e igrejas ainda são atração depois de uma overdose de templos e ruas planas.
Muitas casinhas são naquele estilo que você encontra em Campos do Jordão e Gramado, estilo triangularzinho, a cidade faz jus ao apelido de Cidade das Flores e não economiza na hora de enfeitar as ruas.
Além de muitos jardins espalhados pela cidade, há também um lago artificial com pedalinhos em formato de cisne por $3 a hora. Ah, esqueci de dizer, Dalat também é considerada uma cidade romântica e destino para muitos casais vietnamitas em lua de mel. Nesse meio tempo em que estivemos lá vimos pouquíssimos turistas ocidentais.

Há uma rua cheia de cafés confortáveis na rua Le Dai Hanh, e para falar a verdade nós fomos para Dalat para descansar de Ho Chi Minh, passamos 3 dias só de bobeira, comendo bolinhos, tomando café, curtindo a garoa e lembrando como não era tão ruim passar frio! Minha indicação para um café na beira da lagoa: Blue Water Restaurant. Não é na pegada de preços para mochileiros, mas a vista do lago é revigorante.

Visitamos também a Crazy House (35.000 dongs a entrada) que é uma espécie de casa com arquitetura de Alice no País das Maravilhas. Vale a pena ir se não tiver mais nada para fazer na cidade, é curiosinha, vamos dizer.
Dalat também é ponto estratégico para fazer passeios a partir da cidade e dizem que os trekkings lá são incríveis. Mas com a garoinha ficamos pela cidade mesmo. Uma coisa bem legal é que aos sábados e domingos eles fecham as ruas para os carros das 19h às 22h, na parte do centro. Então você vê as pessoas invadindo as ruas, meninada brincando de skate, jogando peteca, corrida de carrinhos de controle remoto, algo que toda cidade decente deveria ter.

E da geladeira saltamos direto para o fogão. De Dalat fizemos uma viagem de 5h até Nha Trang com o objetivo de pegar um trem no mesmo dia para Danang e seguir depois de ônibus para Hoi An. Complicado. A estrada é maravilhosa, a mais linda que já passamos, montanhas, rios e plantações. Se fizer essa rota vale a pena ir durante o dia. O ônibus, ao chegar em Nha Trang, passou pela praia, que outra decisão poderíamos ter tomado?
Enquanto passávamos pela beira-mar o Ro começou: “Poxa… a praia é tão bonita… olha que dia lindo… talvez a gente pudesse dormir aqui…” eu disse: “Ro, não precisa tentar me convencer, já estou totalmente convencida!” Se fomos para Dalat com a desculpa de descansar de Ho Chi Minh, a desculpa da vez era descansar de Dalat.

Não me perguntem as atrações da cidade, ficamos dois dias ali estirados na areia, os coqueiros fazem sombras que impressionariam qualquer pessoa.
A noite fomos na feirinha noturna que é uma graça. Nha Trang é mega turístico, tem tanto russo lá que chegamos a ver cardápios escritos em vietnamita e russo. E em inglês?

No último dia em Nha Trang resolvemos nos dar um pouco de luxo e por $4 alugamos duas espreguiçadeiras na Louisianne Brewhouse. Alugando a espreguiçadeira você podia usar também a piscina, mas precisa de piscina? O Mar do Sul da China é geladinho, diferente do mar do Golfo da Tailândia, refrescante!
Mas perai, vocês estão achando que estamos muito chiques para sermos mochileiros, né? O restaurante era super caro. Para economizar fomos obrigados a almoçar lagosta por $5 dos vendedores ambulantes da praia.
Trabalho duro!