Orçamento para um mochilão na Ásia

Resolvi apagar o post antigo sobre o orçamento que fiz 6 meses antes da data de partida e fazer um novo, mais atualizado. Muita coisa mudou de lá para cá, o dólar subiu muito, então acho que posso passar uma informação melhor. Vamos lá então.

Vamos pensar em um orçamento de R$ 15.000 para cada pessoa a serem gastos em 140 dias e que inclui: transporte entre países, transporte dentro dos países, hospedagens, comida, passeios, vistos.

Vistos: vamos calcular aqui cerca de R$ 500 com todos os vistos.
O valor dos vistos também varia de acordo com o tempo que você pretende ficar no país e o número de entradas que você dará em cada país. Para saber os valores dos vistos o ideal é visitar o site de cada consulado, o site Visto para todos tem esses endereços e também traz informações de tudo o que é necessário para entrar em um país.

Passagens entre países: R$ 2.600
Após ter a rota definida e ter decidido a ordem em que percorreríamos os países, fizemos uma cotação de quanto gastaríamos nos transportando entre eles. Na Ásia os ônibus são bem baratos então cotamos apenas os trechos aéreos (lembrando que sempre que pudermos viajar de ônibus, faremos isso. Abaixo os trechos aéreos:

Bangkok > Krabi = $70
Hanói > Hong Kong = $300
Beijing > Bali = $400
Bali > Bangkok = $150
TOTAL em dólares: $ 920
TOTAL em reais (cotando o real a R$1.80) = aproximadamente R$ 1.600,00

A esses R$1600 de gastos com transporte aéreo eu chutei mais R$ 1000, por quê? Nesses R$ 1000 estarão inclusos gastos com outros meios de locomoção entre os países como trens, ônibus, barcos, etc. E também levo em consideração que pesquisei as passagens de avião com antecedência, pode ser que a gente compre algumas em cima da hora (ou seja: mais caras), por isso esse valor total de R$ 2.600

Assim, dos R$ 15.000 previstos no orçamento descontamos R$ 3.100 do transporte e dos vistos, e sobra R$ 11.900,00. Dividimos esse valor pelos 140 dias e assim teremos cerca de 50 dólares por dia, mais do que o suficiente* para se viajar com relativo conforto na Ásia. Algumas cidades são mais caras que outras, Hong Kong, por exemplo, assim, o que você gasta num país mais caro, pode compensar depois num país mais barato.

Não se esqueça de que nesse valor não estão inclusas as passagens de ida e volta do Brasil e os gastos que você terá antes da viagem, como seguro de viagem, remédios, vacinas, guias de viagem, mochila, roupas, etc., mas lembre-se também que muitas coisas poderão ser compradas no seu destino de viagem. Veja aqui alguns dos nossos gastos anteriores à viagem.

NOTA*: Para saber que $50 dólares é mais do que o suficiente eu pesquisei antes a média de gastos no Travel Happy, um blog muito bom sobre destinos na Asia (infelizmente apenas em inglês). Aqui eles fazem uma média de gastos por dia em alguns países como o Camboja ($15 por dia), Laos ($12), Tailândia, Vietnam, etc.…

NOTA 2*: Lembrando que viajaremos no estilo roots, usando albergues e couch surfing, tentando sempre evitar os taxis indo à pé aonde der e comendo muita comida de rua! Espero que seja suficiente, mas bom é sempre ter uma reserva de emergência 😉

NOTA 3*: Se for viajar na alta temporada, lembre-se de que as coisas costumam dobrar de preço.

Anúncios

Gastos anteriores à viagem

Eu já contei um pouco num dos posts anteriores sobre o nosso orçamento para esse mochilão. Aqui focarei um pouco mais nos nossos gastos antes da viagem.

Vacinas
Vacina de hepatite A (2 doses de R$100 cada) e febre tifóide (R$70). A vantagem é que depois que você se vacinar contra hepatite A, estará protegido para sempre.
Aqui já temos R$270 só com as vacinas.

Seguro de Viagem
Vamos fechar o plano do Itaú, dá aproximadamente R$ 500 pelos 140 dias que vamos viajar.

Passagens
Compramos com antecedência e conseguimos por um bom preço na minha opinião, R$ 2.600.

Procuração
Vamos deixar uma procuração para os nossos pais caso aconteça alguma coisa no Brasil que não possamos resolver. Em Curitiba o R. gastou cerca de R$ 70 numa procuração geral, já em São Paulo a brincadeira não sai por menos de R$ 150,00.

Remédios
Não esperávamos gastar tanto com isso, mas gastamos aproximadamente uns R$ 130,00 com os remédios e o kit de primeiros socorros. Dá uma dorzinha no coração ter que gastar tanto com uma coisa que esperamos não ter que usar…

Bugigangas de toda sorte
Mochilas, roupas, tênis, máquina digital, capa para netbook, óculos de sol, pen drive, remédios e muito mais. Talvez você precise comprar algumas coisas antes de viajar, mas lembre-se que sempre há a possibilidade de comprar alguns dos itens pelo caminho que podem acabar saindo mais barato.

Outros gastos que você deve considerar
– passaporte (ou renovação de passaporte)
– vistos que você queira tirar antes (o japonês por exemplo que só pode ser tirado no país de origem)
– fotos 3×4 e 5×7 de reserva (caso vá tirar vistos em outros países como no Camboja por exemplo)
– guias de viagem
– cópias de segurança de seus documentos

Sem tirar o pé da estrada

Eu amo viajar, tento viajar pelo menos duas vezes por ano e estou aqui para dizer a vocês que não é preciso o tanto de dinheiro que vocês pensam para fazer isso. Infelizmente não sou rica, trabalho com design gráfico – o que dificilmente torna alguém rico – e tudo é fruto do suor do meu trabalho (ou devo dizer das lesões por esforço repetitivo nas mãos já que fico o dia inteiro trabalhando no computador?). E digo para quem quer viajar mais: menos medo, mais foco!

E olha… muita marmita na veia! rs… como já dizia Cecília Meireles: “ou isto ou aquilo”. E eu prefiro comer uma comidinha tailandesa por 4 dólares na Tailândia do que jantar num restaurante tailândes por 40pilas em São Paulo. Pois é, gosto é gosto.

Outra coisa é o foco: Quanto de você quer fazer essa viagem? Eu digo no meu caso que 100% de mim está empenhado nisso. Então todas as minhas ações nesse ano tem o objetivo de economizar ao máximo para essa viagem. Uma técnica que eu e R. usamos é sempre transformar nossos gastos em São Paulo em pequenos prejuízos para a viagem. É bem engraçado… por exemplo: “Putz… o preço do ingresso para o cinema é de duas diárias num hotel no Camboja…” ou “nossa, com o preço dessa camiseta dá pra gente jantar por uma semana no Vietnã!”. Pensando assim dá uma força de vontade maior né?

Isso não quer dizer que nos isolamos do mundo e não fazemos mais nada… mas quer dizer que só vamos em uma balada se não tiver que pagar para entrar, em vez de comer fora todos os fins de semana nós preferimos cozinhar, assistir filme em casa em vez de ir no cinema… mas continuamos saindo normalmente, só tentando não extrapolar os gastos ou comprar coisas por impulso. Vamos imaginar que a vida te oferece um rodízio (haha)… um mais caro, mas com mais opções e outro com menos opções porém, mais barato… Esse ano acho que vou no rodízio mais barato hein… Dos dois jeitos você não vai deixar de comer.

E o medo: quem nunca fez um mochilão não sabe nem por onde começar… Aonde eu vejo passagem? Visto? Seguro de viagem? Hospedagem? (Aliás, se esse é seu caso ao lado na seção de links úteis na barra direita você pode encontrar algumas respostas para suas dúvidas). Depois que você faz seu mochilão restam duas alternativas: ou você fica traumatizado porque não planejou direito, deu um monte de merda e você jura que só vai viajar de pacote turístico, ou você vicia e não quer parar nunca mais. A vida seria muito mais tranquila e confortável com a primeira opção, mas muito mais aventura, divertida, proveitosa e instrutiva na segunda. Opção a, opção b?

Hay que perder o medo. Comece por um mochilão bem simples, no mesmo continente, barato por uma semaninha… você pega o gostinho, aprende algumas coisas e vai querer começar com umas coisas mais megalomaníacas… dois meses na África, meio ano na Ásia, uma volta ao mundo…