32h em Vientiane

Nossa viagem de Luang Prabang até Vientiane foi a mais turbulenta até o momento. Entramos no ônibus e já começaram a distribuir saquinhos plásticos… também notamos que os locais usavam máscaras no nariz. Sinais que só começam a fazer sentido quando as curvas aparecem e todo mundo começa a querer vomitar ou quando a poeira invade o ônibus e você tem que usar a canga para poder respirar. Depois de algumas horas de viagem, adivinhem, o clássico do Laos: o ônibus quebrou. Os locais nem pestanejaram, já estenderam a canga na sombra do busão porque sabiam que a espera seria longa. Enquanto isso os gringos se perguntavam: o que fazer? Abri meu Lonely Planet e a primeira dica que ele dá sobre o Laos é: Os ônibus são velhos e sempre quebram. Muna-se de comida, água e paciência. Por que não li isso antes? Duas horas de espera depois, chega o nosso salvador, o tal do King of Bus. Perai… Rei já pode ter sido um dia, mas aquele lá estava totalmente destronado… Vidros rachados e colados com algo que parecia um fita isolante gigante cobrindo toda a janela rachada… a porta amarrada por um cordão… dá para imaginar isso? Seguimos, e pouco antes de chegar na rodoviária… a gasolina acabou. Pegamos um tuktuk até a beira do Mekong para caçar um hotel… enfim Vientiane! A passagem de ônibus para todo esse perrengue custou 155.000 kips.

Quando pensamos em qualquer lugar que seja a capital de um país, logo imaginamos uma cidade frenética, com trânsito, ruas cheias de pessoas a caminho do trabalho, prédios gigantes.. Não é o caso de Vientiane. Com cerca de 200.000 pessoas, zero de trânsito e ares de cidade de interior, fica difícil acreditar que você acabou de chegar na capital do Laos.

Vientiane não é das cidades mais atraentes no Sudeste Asiático. Um dia é mais do que o suficiente para percorrer suas principais atrações. Se você não teve a oportunidade de subir no Arco do Triunfo em Paris, Patuxai é a sua oportunidade. Por 2000 kips você pode subir as escadas e apreciar a tranquila vista da cidade, e veja só, sem gastar sequer 1 euro!

Ou ficar nos banquinhos sob o arco do triunfo observando todos os turistas que passam por lá. É interessante notar como não há muitos ocidentais nessa área, o que pode fazer de você uma atração a parte para os turistas asiáticos. Rômolo estava sentado no banquinho, quando passou uma chinesa que repentinamente tirou uma foto dele. O Stijn, nosso amigo holandes, fez o maior sucesso… Acho que pelo menos umas 5 pessoas pediram para tirar fotos com ele.

O ponto máximo de Vientiane é o templo Pha That Luang, que também está presente em algumas notas de kips. Quando você se aproxima do templo, se impressiona com o tamanho e todo aquele dourado… Paga-se 5000 kips de entrada, mas uma vez dentro dos muros, você não verá muito mais do que pode ser visto de fora. Se você já visitou outros templos na Ásia, esse será apenas mais um templo.

Bem, nossa passagem foi curta mesmo e ainda perdi a maioria das fotos que tirei no fim da viagem pelo Laos, longa história… Resta-me recomendar aqui um programa sem erro: Ver o por-do-sol na beira do Mekong enquanto degusta uma Beerlao. Acredite, depois de uma viagem de ônibus pelo Laos é a única coisa que você vai precisar.

Anúncios