Longsheng: Na espinha do Dragão

De Yangshuo pegamos um ônibus (cerca de 15 yuans) até Guilin, numa curta viagem de cerca de 2h. É bem fácil encontrar esse ônibus, basta ir até o terminal de ônibus de Yangshuo e dizer: Guilin, que eles te guiam até o lugar certo. Chegando em Guilin passamos a noite no Ming Palace, sem dúvidas o melhor hostel que já ficamos até hoje. O ambiente era uma delícia, cheia de poltroninhas, sinuca e jogos chineses. Foi aí que aprendemos a jogar Mahjong, umas espécie de jogo de baralho chinês, mas com peças estilo dominó. Fiquei super feliz, porque outro dia eu e o Rô estávamos assistindo um filme de kung fu na TV onde os personagens jogavam esse jogo e eu estava super curiosa. E bem, finalmente aprendemos.

Olha os pandas no vício do Mahjong…

O legal é assistir filmes com Mahjong depois e entender o que está rolando… Vimos depois o bizarro filme Kung Fu Mahjong. Garanto que não precisa de legendas para achar engraçado (no You Tube tem o filme completo em cantonês).


Também havíamos comprado um xadrez chinês para aprender a jogar pelo caminho e conhecemos um casal de chineses que se deu ao trabalho de nos ensinar… Bem, descobrimos que esse é o melhor jeito de passar o tempo na China. Sei que toda vez que falamos para os chineses que sabemos jogar esses jogos eles ficam: 1. muito chocados; 2. rindo da nossa cara.

Rômolo concentrado no clássico Brasil x China

Bem, fomos até Guilin com o único objetivo de ir até o Dragon´s Backbones Terraces que fica a cerca de 3h de lá. O Dragon Backbone´s Terraces consiste numa área com campos de arroz incríveis, foram construídos durante a disnatia Ming há cerca de 500 anos atrás.

Para chegar de Guilin até Longsheng County (o município onde ficam os  terraços) foi uma tremenda dor de cabeça. Se locomover na China realmente não é fácil. Em Longsheng há diversos vilarejos onde você pode se hospedar na região dos terraços, sendo Ping An o mais famoso. Nós queríamos ficar em Dazhai, já que todos diziam que Ping An era super turístico, lotado e em um lugar não tão bonito quanto Dazhai. Fomos até a Southern Guilin Bus Station (também conhecida como Qintan Bus Station) para comprar o tal do ônibus, pagamos cerca de 30yuans. No meio do caminho paramos em um lugar e tivemos que trocar de ônibus. Pagamos mais 7 yuans e dissemos que queríamos descer em Dazhai. Bem, o ônibus simplesmente largou apenas eu e o Rô numa bifurcação na estrada e continuou o rumo para Ping An, e a única palavra que a mulher disse antes de nos largar foi: Bus. Ficamos ali, no meio de placas chinesas sem saber o que fazer. Tentamos parar alguns ônibus, mas ninguém parava. Depois tentamos parar um carro e ninguém falava inglês. O outro carro que parou queria cobrar 80yuans pela carona. Pensa no desespero dessa pessoa. Cara, fiquei com muita raiva na hora, é até engraçado lembrar agora… Eu comecei a chutar uma ponte e gritar: Eu odeio a China!!!!!!! hahaha… bem, até que paramos um carro e usamos o Phrasebook no iPod do Rô para dizer: “Eu estou perdido”. Subimos no carro, o cara fez uma ligação no celular que eu achei super suspeita. Ele começou a subir a montanha e eu morrendo de medo, pensando: “Ai meu Deus… ele vai nos sequestrar e ligou para avisar alguém que está com uns gringos no carro!”. Bem, mil pensamentos passando mas não tínhamos outra opção. Por fim, ele nos deixou na entrada de Ping An e sem cobrar nada. Ufa. Acho que temos assistido muito filme de máfia chinesa.

Querer sair da rota dá nisso, fomos parar justamente em Ping An. Depois descobrimos que haviam nos largado na bifurcação para esperar outro ônibus. Mas tudo bem, o vilarejo é bem amável e com muitas opções de hospedagem e restaurantes, chegamos lá sem nada reservado. Entramos em um hotel que parecia ser legal mas era muito caro… a menina que falava inglês e era super simpática disse que podíamos ficar no hotel do tio dela ali do lado que custava 80yuans. O hotel era todo de madeirinha – como todos os outros da região – e tinha uma vista bem bonita dos campos de arroz. Parece que todos os hotéis por lá são no mesmo estilo, a média de preço é uns 100 yuans. Não posso recomendar esse hotel porque o nome estava em chinês, e na verdade não era propriamente um hotel… era mais uma casa mesmo com alguns quartos onde ninguém falava inglês, então íamos sempre no hotel da menina para pedir informações.

Bem, uma nota: Se você quer viajar pela China na Primavera vai pegar muita chuva em algumas regiões, parece que grande parte da chuva que cai durante todo o ano, cai nos meses de maio e junho. Dia sim, dia não estamos pegando chuva. Nosso dia de chegada lá: garoa e neblina. Os campos totalmente cobertos por nuvens. Mas gostamos do clima da cidade e resolvemos que íamos ficar lá descansando por duas noites.
No dia seguinte a neblina continuava da nossa janela, mas fomos persistentes. Pegamos os guarda-chuvas e resolvemos fazer uma das trilhas que rodeavam o vilarejo. As trilhas são bem fáceis, caminhos de pedras com inúmeras subidas e descidas, mas bem tranquilo. Você também pode descolar um mapa da região caso queira fazer trilhas mais longas, como a de Ping An até Dazhai que leva cerca de 5h. Depois de andar e subir bastante, tivemos a recompensa. O céu deve ter ficado com dó da gente e abriu suas cortinas para um espetáculo que dificilmente será esquecido.
Acho que a neblina deu um ótimo toque, não? Bem, ficamos lá na cidade, comemos o delicioso arroz no bambu, tomamos muito chá, assistimos TV no nosso quarto enquanto a neblina crescia lá fora… e mesmo que o tempo não estivesse tão bom, tivemos o privilégio de vislumbrar a Espinha do Dragão em uma de suas melhores formas.

Desenhos diretamente do maravilhoso Caderno de Viagens do Rômolo.
_________
DICAS:

Para voltar a Guilin há dois ônibus diários turístico que vão direto até a cidade partindo em dois horários: 10h e 14h. Preço: 50yuans.

Para chegar até Longsheng de Guilin é meio chatinho, usamos esses links para pesquisar a melhor forma:

http://wikitravel.org/en/Longsheng#Get_in

Paga-se 80 yuans para poder entrar nos vilarejos do Dragon´s Backbones Terraces.

Os terraços mudam de cor a cada estação. Amarelo no outono, verde no verão, cobrem-se de neve no inverno e viram espelhos de água na primavera.

Chazim para aquecer o coração.