Adorável Dali

Assim como Yangshuo e Lijiang, Dali é mais uma daquelas lindas cidadezinhas turísticas chinesas onde vale a pena dar uma parada para quebrar as longas jornadas pela China. Chove chuva na China, e assim passamos dois dias limitados aos arredores da cidade – o que não é má coisa.

As casas da minoria étnica Bai são um trabalho de delicadeza com belas pinturas nas paredes e os canais que cortam a cidade são um charme à parte.

Vale lembrar que Dali é dividida em duas áreas: Xiaguan (Dali New City) e Dali Old Town. Xianguan é super sem graça e provavelmente onde o ônibus vai te deixar. Saindo da rodoviária pegue o ônibus número 8 por 1yuan que te deixará dentro da Old Town. Outra opção é pegar um taxi por cerca de 40 yuans. Nos hospedamos na ótima Friends Guesthouse pagando 100 yuans num quarto duplo.

Dica para o almoço barato: A partir do South Gate e seguindo até a Ren Min Lu vire à direita para encontrar diversos restaurantes pé sujo bons e baratos. Alguns desses restaurantes deixam os alimentos frescos (e os animais vivos) para que o cliente possa escolher.
Uma coisa que vou sentir falta da China é comer os dumplings no café da manhã.
Em Dali finalmente pegamos um frio que me obrigou a comprar um casaco quente e a usar minhas calças jeans pela primeira vez desde que saímos do Brasil. Coisa de 14º. Fico feliz por não tê-la despachado em Hong Kong. O Rô finalmente pôde usar o casaco feito sob medida em Hoi An.

Tempo frio em Dali só tem uma receita: Muito chá e sopa para esquentar.
Desenhos diretamente do Incrível Caderno de Viagens do Rômolo.

Anúncios