Cruzando a fronteira: Laos e Camboja

Cruzar a fronteira é aquela história: No money, no honey. Cruzar a fronteira entre Tailândia e Laos foi fácil, apenas $1 de extorsão com a desculpa dos oficiais de que era fim de semana. Outros viajantes nos relataram que também foram cobrados $1, mesmo cruzando durante a semana. O que não esperávamos foram os $7 de “caixinha” que tivemos que pagar a mais para poder cruzar a borda do Laos com o Camboja. Todo mundo sabe que para todas nacionalidades, o visto para entrar no Camboja é de $20. E todo mundo também sabe, que dificilmente você pagará o valor correto. Compramos nosso ticket para Siem Reap em Don Det por $35, estavam inclusos: um barco, uma van e um ônibus. Primeira parada logo na fronteira: Tudo improvisado, os oficiais ficam numas casinhas bem tosquinhas, difícil acreditar que você está passando pela imigração, mas aqui no Sudeste Asiático é assim mesmo. Acompanhem comigo agora o nosso caminho de extorsão.

1o posto: $2 para recebermos o carimbo para poder sair do Laos. Obviamente que o carimbo deveria sair de graça.

2o posto: Tem um “posto de saúde” no curto caminho que realmente divide o Laos com o Camboja. Na hora que vi aquilo já desviei do caminho porque sabia que era scam. Depois outros viajantes nos relataram que tiveram que pagar $1 para serem “examinados”.

3o posto: Tirando o visto. Na mesa tinha um papelzinho colado com os valores: 250.000 kips ou 1000 bahts. Perai, bahts??? O que a fronteira do Laos com o Camboja tem a ver com os bahts da Tailândia? Ponha no papel e você vai entender: 1000 bahts ou 250.000 kips é igual a $33. Agora diga que você quer pagar em dólares e eles vão dizer: $23. Boa essa cotação na fronteira, hein? Ah, só para constar: o visto custa mesmo $20, os $3 a mais são a caixinha.

Bem, agora você já tem o visto, está todo feliz, acha que já acabou… mas não. Tem o último posto onde serão cobrados mais $2 só para carimbarem seu visto. Parabéns! Se você percorreu o caminho completo da extorsão você acaba de perder $8! É como o Jogo da Vida, mas sem lucros, só prejuízo, hehe…

Dicas para não ser feito de trouxa:

– Antes mesmo de você ser feito de trouxa na fronteira, um dos funcionários do ônibus em que você está vai dizer que ele pode fazer o visto para você por $30, que é só $1 mais caro que na fronteira, que vai ser muito mais rápido, que se você for fazer sozinho vai demorar mais tempo, que você vai perder o ônibus… não acredite nele e vá no faça você mesmo. Combine com a galera do ônibus de vocês mesmos tirarem o visto, nós acabamos tirando o nosso muito mais rápido do que o funcionário.

Vá apenas com $20 dólares na carteira e esconda o resto do dinheiro no bolso. Quando os oficiais estavam me cobrando $23 eu abri a carteira, mostrei o dinheiro e disse que tinha só $22. Eles falaram para eu pedir $1 emprestado para o Rômolo, mas eu disse que não conhecia ele. Os oficiais ficaram meio contrariados mas acabaram me dando o visto sem demora. Pensando bem, eu devia ter feito isso nos outros postos, alguns amigos fizeram e deu certo, passaram por tudo sem problemas.

Se você for atravessar a fronteira desde Bangkok até Siem Riep, eu recomendo perder um tempo nesse site, que vai te dar ótimas dicas de como percorrer o caminho mais infestado por scams.

Bem, esse é só o primeiro dos muito scams que você vai encontrar no Camboja. E já que estamos no assunto, vou aproveitar para alertar de outro caso muito famoso em Siem Reap: O Milk Scam. Você está andando na rua tranquilamente, quando chega uma menina de aproximadamente 7 anos, toda sujinha, com cara triste e com um bebê no colo. Ela fala: Eu não quero dinheiro, eu quero leite, o bebê não tem leite. Enquanto isso ela mostra uma mamadeira suja e vazia. A menina aponta para um mercado do outro lado da rua… você se compadece, afinal ela só quer leite. Você entra no mercado e estranhamente todos os produtos tem preço… menos o leite. Estranho. Você vai até o balcão perguntar, os balconistas se olham estranhamente e dizem que o leite custa… $18!!! What????? O truque é simples: Você compra o tal do leite de $18 dólares e a menina revende de novo para a loja. Conheci uma brasileira em Don Det, a Lana, que me alertou sobre esse scam… e é fato. Até agora já fui abordada umas 5 vezes pela menina com o bebê no colo. O pior é que você acaba pegando raiva da criança que na verdade está só fazendo o que a mãe mandou, não é culpa delas, e se você estudar a história do país vai entender porque algumas coisas são assim.

O Camboja é o perfeito constraste de como o homem pode ser belo – quando constrói os templos maravilhosos de Angkor – e cruel, quando promove uma matança como a que ocorreu no país e que matou quase 2milhões de pessoas em 3 anos. A trajetória do Camboja é uma das mais tristes no Sudeste Asiático, mas deixo para me aprofundar no assunto mais para frente… Por ora vamos olhar para o lado bonito que a humanidade tem e explorar os templos misteriosos de Angkor.

Anúncios

7 respostas em “Cruzando a fronteira: Laos e Camboja

  1. Vocês planejam ir até Battambang?

    Tem as cavernas com ossos lá… Mórbido mas dizem que é legal pra entender a história do Khmer Rouge.

    Abraços e boa viagem 😉

    • Oi Gabriela, tudo bem? Nós pulamos Battambang, conhecemos algumas pessoas que disseram que lá não valia tanto a pena então seguimos para Phnom Pehn onde estamos agora… vamos no Killing Fields hoje, onde acho que dá para entender mais a história do Khmer Rouge =(
      bjinhoss

  2. Atravessei a fronteira entre a Tailandia e o Camboja em Aranyaprathet, vindo de Bangkok. (O trem foi um exercício de paciência) Como já tinhamos o visto que tiramos via internet, achei bem tranquila a imigração dos 2 lados. (No meio do caminho entre a estação de trem e a imigração tem um bando de gente oferecendo para tirar o visto do Camboja – dizem para ter cuidado com essas pessoas)
    Para sair da Tailandia foi fácil, aí tem que atravessar uma espécie de terra de ninguém (com um cassino enorme no meio) até chegar do lado do Camboja. Passamos por uma espécie de posto de saúde onde tivemos que mostrar o cartão da febre amarela e ali um rapaz nos acompanhou (ninguém cobrou nada). O rapaz nos levou na imigração de fato, entregamos os vistos impressos e o oficial carimbou o passaporte. O rapaz nos levou até um ônibus (grátis) que ia até outro lugar onde podiamos pegar um taxi ou uma van até Siem Reap. Não tivemos que pagar nada além do visto (que já tinha sido pago online: 20USD) e o taxi, claro. (o rapaz só ficava avisando para não deixar o passaporte a vista, parece tem uns mãos leves ali)
    Até fiquei com a impressão que o turismo no Camboja era super organizado.

    • Pois é Karine, acho que depende do ponto em que você cruza, parece que algumas fronteiras são piores do que as outras… e também deve depender do humor dos caras né, rs… quero só ver agora para atravessar do camboja para o laos!!! bjinhosss

  3. Gente, estou indo para o Laos em Janeiro e queria ir para Camboja logo depois, sem passar pelo Vietnã. Mas estou com muita dificuldade de achar qual o melhor meio e caminho de locomoção, sendo que avião fica praticamente inviável porque esta muito caro. Vocês tem alguma dica que possa me ajudar?
    Muito obrigada!

    Lais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s