Backup de fotos durante a trip

Olá amigos! Nossa viagem ainda nem começou, mas fico super feliz por estarmos recebendo comentários de pessoas que estão usando o nosso blog para ajudar no planejamento de suas próprias viagens. Hoje vou falar de uma superdica que descobri hoje mas que já não é nenhuma novidade… mas caso você esteja tão desatualizado quanto eu, vai gostar de saber dessa haha.

Dentre os gadgets e aparelhos eletrônicos que eu e Rômolo vamos levar na trip estão inclusos:

uma máquina fotográfica de bolso
Adoramos as máquinas profissionais, mas para essa trip estamos pensando em algo realmente prático na hora de tirar as fotos… uma bem pequena, que dê para guardar no bolso e que não chame muita atenção.

– um celular velho e podre de chip
Para podemos comprar o chip em cada país que formos e nos comunicarmos de forma barata… com os hotéis ou os couchsurfers, por exemplo.

– um netbook
Para salvar nossas fotos, para atualizarmos nossas planilhas de gasto, para nos conectarmos à internet, falar no skype e – por que não – para jogar campo minado?

– nossos iPods
Ou eu viajo com música ou eu não viajo… brincadeira. Mas com um fundinho de verdade… rs…

Minha primeira dica em relação à isso é: Não leve nada que te deixaria em depressão caso você perdesse. Eu ia ter muita dó caso levássemos o macbook do Ro e ele fosse perdido/roubado durante a viagem. Por isso vamos levar um netbook bem vagabundo. Outra coisa é evitar preocupação com a bagagem. Quanto mais coisas de valor você levar, maior a preocupação… e já basta a preocupação física da mochila, ainda tem que ter a psicológica?

Mas vamos agora à “supernovidade” que descobri… rs… Dentre as piores coisas que podem acontecer durante uma viagem, inclui-se a perda das milhares de fotos que você tirou… principalmente se você é brasileiro! Sei que os japoneses tem a fama de bater muita foto, mas eu acho que os brasileiros podem competir facilmente com eles… reparem! E aí? Estávamos pensando como fazer o back-up das fotos durante a viagem e tudo parecia muito frágil… pendrive, cds é fácil de perder, só no netbook não dá pra confiar, hd externa seria uma coisa a mais para levar na mala, mandar e-mail com todas as fotos dá muito trabalho e demora muito, e aí? Foi aí que li no jornal hoje sobre o Dropbox! (se vocês forem pesquisar, isso já existe há muito tempo, tenho até vergonha de falar que eu não conhecia haha).

O Dropbox funciona basicamente assim: Você entra no site, baixa o aplicativo nos seus aparelhos (laptop, celular, Mac, PC, etc) e depois tudo o que você jogar na pastinha (que ele cria automaticamente) vai aparecer em todos os aparelhos em que você instalou o aplicativo. Simples, não? Vamos supor que você instalou a dropbox no seu laptop e ele foi roubado. Por sorte você salvou todas as fotos da sua viagem na Dropbox! Agora você vai numa lanhouse, acessa o site, faz o login e PLIM! Lá estão todas as suas fotos de volta! A Apple lançou “recentemente” o iCloud que tem o mesmo propósito, mas eu não tenho certeza se funciona só nos aparelhos da Apple ou se é pago… O Dropbox disponibiliza 2gigas de espaço gratuito, e se você quiser mais tem que pagar… mas acho que vale a pena! E deixo aqui um vídeo explicando como funciona o Dropbox que provavelmente vai te convencer a fazer uma conta lá! Beijos! 😉

Anúncios

Falta 1 mês!

Pois é, quem diria, falta 1 mês agora! E estou aqui para contar como andam as coisas. Como vocês podem ver finalmente chegaram os nossos livros da Amazon, o Southeast Asia on a shoestring e o Me no Speak China. Ah, e as havaianas que obviamente não chegaram da Amazon mas que é o par que me acompanhará durante a viagem. Quer havaianas mais originais e mais brasileiras do que esse modelo? rs…

Eu e o R. já saímos dos nossos trabalhos, então estamos aproveitando esse tempo principalmente para fazer os check-ups e resolver todas as pendências da viagem, mas parece que está tudo sob controle mesmo, sem desesperos. No momento estamos decidindo de que forma vamos carregar o dinheiro e pensando no que vamos levar na mochila, como nessa hora conta bastante a opinião de outros viajantes,  entramos em contato com os blogs Viagem Afora, Mochilando pelo Mundo e O Mochilão e pedimos a opinião deles (aliás, um beijo para Fred, Letícia, Antonio, Ellen e Fellipe que nos ajudaram bastante!). Mais pra frente conto direitinho as dicas que recebemos. E agora também estou mandando bala no inglês, estudando muito, treinando com o guia do Lonely Planet e assistindo Big Bang Theory sem legendas (haha) pra não fazer feio na hora de viajar. Voltamos em breve, cada vez mais perto e com um frio na barriga em escala ascendente! =)

Como pensar na mochila (parte I)

Devo dizer que essa é a principal dúvida nesse momento de preparação da viagem. Pesquisei bastante e aqui darei umas dicas bem gerais sobre como eu acho que deve ser o pensamento geral em relação ao que por na mochila. Mais perto da partida, quando a bagagem já estiver decidida, espero postar aqui com fotos tudo o que vamos levar.

O peso da mochila não deve exceder 10% do seu próprio peso. Nessa hora gostaríamos de ter no mínimo 200 kg, não é mesmo? Há também quem diga que a mochila ideal tem 1/3 do seu peso, mas o que você realmente deve levar em conta é que VOCÊ vai carregar sua mochila. O peso ideal para mim é aquele que me permite andar por um bom tempo sem sentir dores nas costas. Nada mais chato do que chegar super cansado em uma cidade que você não conhece, ter que andar pra cara@@@ procurando um hostel e ainda ficar irritado com o peso nas costas.

– Leve uma mochila de ataque. Como eu já disse num dos posts anteriores, a mochila de ataque é uma mochila menor, uma mochila “de mão” vamos dizer. Você sempre carregará tudo o que for mais importante nela na hora de passear pela cidade. Máquina fotográfica, mapas, garrafa de água, celular, etc… Depois que comecei a viajar com a minha, nunca mais consegui ficar sem. A minha é essa rosa da foto ao lado da Quechua, de 10l, não dá para perceber a proporção na foto, mas ela é bem pequena. Comprei numa cor bem berrante para eu nunca perder ela de vista ou confundir com outra mochila. Pode ser encontrada nas lojas da Decathlon, por cerca de R$ 24,90. (p.s.: Infelizmente a Decathlon no Brasil só pode ser encontrada nas regiões Sul e Sudeste e não é possível comprar pela internet =/)

Prescrição dos remédios. Anticoncecpcionais, remédios para enjoo, dor de barriga, dor de cabeça, peça para seu médico uma receita de todos eles e leve na bagagem de mão. Caso a bagagem seja extraviada – e isso acontece! – você terá todos eles à mão e evitará o cansaço de tentar comprá-los  num país em que você não sabe nem como dizer “remédio” na língua local.

– Evite peças brancas. Tudo bem que no calor o melhor mesmo são roupas brancas, mas como sujam mais fácil você poderá reutilizá-la menos vezes e terá que lavá-las com maior frequência. Dê preferência para roupas de cores claras como o bege, por exemplo.

Tudo o que seca mais rápido é melhor. Camisetas dry-fit, peças esportivas e toalhas com alto poder de absorção, além de levinhas facilitam na hora de você lavar e secar bem rápido, sem precisar colocar depois camisetas e toalhas molhadas dentro da sua mochila. Eu comprei a minha toalha na Decathlon – já viram que sou viciada nessa loja, né? – e ela custa cerca de R$ 19,90.

Bem, essa foi a primeira parte, para não ficar muito longo dividirei esse assunto em duas partes. Até breve com mais dicas. 😉

Dicas para meninas

Atenção meninos, post totalmente desnecessário para vocês! rs…

Menstruação, anticoncepcional, depilação, este é um post cheio desses assuntos inconvenientes para as mochileiras que se indagam entre uma passagem de trem e um trekking nas montanhas, qual a forma mais conveniente de lidar com suas calcinhas na hora de mochilar.  Esse post foi atualizado após o término da viagem.

Anticoncepcional
Compre o número de cartelas que você utilizará pelos próximos dias de viagem. Peça para sua ginecologista uma receitinha para não dar encrenca na hora de passar pela imigra e viaje com eles na bagagem de mão. Não se esqueça de deixar o alarme do celular/relógio ligado para lembrá-la de tomar o anticoncepcional. Um método que tem dado muito certo para mim quando viajo, é deixar a cartela num estojinho com a escova e a pasta de dentes. A menos que você não tenha o hábito de escovar os dentes todas as manhãs não tem como deixar de notar a cartela ali! 😉

Depilação
Meninas… não tem coisa mais chata durante a viagem do que a depilação… Nem sempre temos a oportunidade de nos depilar e as vezes as situações exigem que estejamos de regata sob um calor de 40 graus com lindas axilas. E acreditem, não é muito difícil faltar oportunidades para se depilar, isso já aconteceu comigo quando passei 3 dias nos desertos ao norte da Bolívia sem a oportunidade sequer de tomar um banho (ops, isso foi too much information, né?). Se você está afim realmente de se livrar do problema – não só para a próxima viagem, mas para o resto da vida! – que tal investir numa depilação à laser? Tá, eu sei que vocês devem estar me xingando, isso pode não ser a solução mais barata, mas com o boom de clínicas de estética os preços baixaram muito… Vale a pena dar uma pesquisada, de preferência opte por clínicas indicadas pelas amigas e nunca se esqueça: consulte antes seu dermatologista! Caso contrário, lembre-se sempre de manter a sua gilete à mão. Na Tailândia vi vários lugares que faziam depilção a cera, inclusive a famosa depilação brasileira (que até hoje não sei do que se trata rs…). Mas daí para confiar né… Já é outro passo.

Calcinhas
Dê preferência às calcinhas de poliéster que secam muito mais rápido do que as de algodão.

Outra dica é levar protetores de calcinhas, caso você não tenha mesmo onde lavá-las por um tempo eles vão ajudar a manter a calcinha “asseada” por um tempo maior, haha.

Durante a viagem tive a maior dificuldade para encontrar calcinhas que não fossem gigantes… ok, eu não quero um fio dental, mas lá só vendiam modelos estilo vovó. =/

Creminhos
Creme anti-rugas, anti-celulite, anti-estria, anti-feiúra, anti-caimento, quais desses levar? Dica: Nenhum! Um hidratante para o corpo e outro para o rosto já estão de bom tamanho, de preferência em frascos pequenos.

Tive dificuldade também para encontrar hidrantes no Sudeste Asiático que não fossem clareadores de pele, acreditem, essas mulheres são loucas por pele branca e onde puderem tacar um clareador vão tacar! Fiquem atentas na hora de comprar.

Absorventes
Para falar a verdade, não tive dificuldades em achar absorventes internos nas lojas, não precisa levar estocado aqui do Brasil.

E aí meninas, mais alguma dica útil para as mochileiras?