Mudança de hábito: comendo rãs

Tudo começou quando eu comecei a ler sobre a Ásia e vi que a possibilidade de me deparar com iguarias como insetos, cachorro, escorpião e pomba seria real. Num primeiro momento tive nojo. Mas depois pensei: De jeito nenhum, vou para lá, terei essa oportunidade ÚNICA de comer esses pratos e vou arregar? JAMAIS! Isso me levou a refletir sobre meus hábitos e eu pensei em como muitas coisas que fui condicionada a fazer (como por exemplo, não conseguir dormir no breu total ou não engolir o bagaço da mexerica) limitavam as possibilidades da minha vida. Sei que são coisas bobas, mas por isso mesmo, por que manter essas frescurinhas?

Resolvi começar a me preparar psicologicamente para estar pronta para tudo – ou quase tudo – quando eu estiver na Ásia. Comecei com uma coisa bem simples: uma rã.

Eu, R. e mais alguns amigos fomos num boteco em São Paulo com a intenção de experimentar rã. O garçom perguntou: “em pedaços ou inteira?” Eu já pedi inteira para chocar meu cérebro de uma vez. E lá veio ela, à milanesa, e como já havia prevenido o amigo João, parecia mesmo um homenzinho. Olhei meio com um nojinho inicial, mas a fome era tanta que acabei devorando a rã em questão de minutos e teria pedido mais uma se não custasse 12 pilas. Analisando a situação posteriormente, eu e R. concluímos que foi nível fácil. Estamos em busca de novas emoções degustativas agora.

Em duas semanas também agreguei novos aspectos à minha vida:

– Tomei suco de maracujá (uau! esse foi difícil hein!)
– Experimentei dobradinha
– Passei a engolir o bagaço da mexerica

E percebi que as coisas têm sido boas. Tento abrir minha mente, livrá-la de preconceitos antes de experimentar as coisas, meio que finjo que acabei de chegar no mundo e não sei absolutamente nada sobre nada, sendo assim, isso poderia abrir a possibilidade de eu olhar para um cachorro e não pensar nele como um bicho de estimação, mas sim como algo que possa ser comido… Bom, mas mesmo assim acho que isso é o tipo de situação que só na hora mesmo pra saber se vai rolar ou não né…

Até o começo desse ano eu só comia sete frutas – morango, banana, maçã, limão, tangerina, laranja e mamão – mas resolvi fazer o esforço de começar a consumir outras frutas e agora eu gosto também de ameixa, nespêra, pêssego e até uva! E eu me pergunto: Gente, POR QUE eu deixei de comer isso todos esses anos? Quantas coisas ainda não como? O que tem mais de bom aí?

“Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito; repetindo todos os dias os mesmos trajetos.” (Pablo Neruda)

Anúncios