Uma pequena pausa

Bem, já faz um tempinho que eu não posto nada… e tenho uma explicação para isso. Como essa viagem está planejada desde o começo do ano nós já pesquisamos bastante, a rota está bem clara e já temos em mente uma porção de coisas que queremos ver e fazer. Eu estava tão absorvida nisso tudo que eu chegava a sonhar diariamente que eu estava viajando pela Ásia, como se fosse um seriado mesmo, cada noite era um país. (com direito à um último sonho em que eu voltava para o Brasil). Bem, agora acho que demos uma pausa… tá bem longe ainda a viagem (uns 5 meses e pouco) e como está tudo praticamente resolvido resolvemos deixar de pensar nisso um pouco… As vezes até esqueço que vamos viajar.

O que temos que fazer agora até o fim do ano, basicamente, é comprar os guias do Lonely Planet (que vamos importar da Amazon, bem mais barato) e ficar de olho para tomar as outras doses das vacinas nas datas certas.

Gostaria de deixar aqui uma dica ótima de dois blogs que tenho acompanhado. O Viagem afora – que eu achei perfeito e era exatamente o tipo de coisa que eu queria fazer. É um casal que está dando a volta ao mundo e eles especificam muito bem em cada post os valores gastos, reviews sobre os lugares em que se hospedaram e algumas dicas realmente úteis dos países que vão visitando (além das ótimas fotos!). E tem também o Mochilando pelo mundo do Rogério que está quase terminando sua volta ao mundo. No blog dele peguei muitas dicas de lugares bacanas para visitar nos países que vou e também acho que ele sabe captar muito bem o estilo mochileiro de viajar. Boas viagens 😉

Anúncios

Como aprendi a esvaziar a mochila

Eu aprendi a lidar e entender a dinâmica de uma mochila – e também de um mochilão – da pior forma possível. Para o primeiro mochilão da minha vida – 21 dias na Europa – comprei uma mochila de 50litros da Quechua (sou fã da Quechua, além de bons os modelos são relativamente baratos na Decathlon). Mochileira de primeira viagem não sabia muito bem se esse era o tamanho certo. Enchi minha mala e lembro como ela estava pesada quando saí de São Paulo, incomodava demais. Nosso destino era Paris com uma conexão em Amsterdam. Surpresa chegando em Amsterdam: por causa da neve nosso voo para Paris foi cancelado e as malas tinham partido para sabe-se lá onde, resumindo: só teríamos nossa mala de volta quando voltássemos para o Brasil.

Qualquer mulher ficaria louca, algumas até desistiriam da viagem (foi o que constatei quando contei essa história para algumas amigas). O que eu fiz? Fique MUITO chateada, BEM chateada na verdade. Mas quer saber? Nós estávamos com tudo o que era mais importante… o amor! haha brincadeira! Nessa viagem o R. tinha me ensinado a importância de viajar com uma mochila de ataque… uma mochila pequena que você carrega sempre com você e com tudo o que tiver de mais valor, como máquina fotográfica, celular, etc… ou seja: tudo de mais importante estava conosco, inclusive por sorte estávamos vestindo os casacos mais pesados e quentes como estratégia para diminuir o peso das mochilas (sorte nossa, pois a neve em Amsterdam estava brava!). Além de algumas lembrancinhas – Havaianas e uma pinga para nossos hosts do Couch Surfing –, só havia roupas, shampoo, sabonete, blabla na mochila perdida. Então pensei: foda-se!

Dormimos em Amsterdam e pegamos um trem (pago pela Air France) para Paris no dia seguinte. A Decathlon além de ser minha loja preferida, é francesa, ou seja: estávamos no país certo para repor a mochila perdida. Fomos na Decathlon e comprei:
– uma mochila de 40L da Quechua (por apenas 30 euros!!!)
– umas 2 ou 3 camisetas
– meias
– um casaquinho de fleece (aliás… estou usando ele enquanto escrevo)

E com mais a roupa que tínhamos no corpo passamos tranquilamente esse que foi um dos piores invernos da Europa. Minha mochila estava bemmm mais leve, eu estava mais feliz, andava sem curvar o corpo e não senti falta de nada, juro! Hum… uma coisa que tinha tudo para terminar em tragédia e no final deu tudo certo…

O que a mochila perdida me ensinou: Hoje em dia eu viajo com o mínimo do mínimo necessário, sem firulas, nada de brinco, colar, creme para cada parte do corpo, chapéu para cada dia da semana. Que boa oportunidade para nos desprendermos das coisas materiais (pelo menos por um tempinho… hehe)! Poucas peças de roupa – você sempre pode lavar suas peças pelo caminho – e claro que desenvolvi algumas técnicas para diminuir o peso da mochila… Aprendi principalmente que a mochila não deve ser um estorvo, se estiver pesando mais do que você possa carregar, atrapalhando seus deslocamentos… que tal abrir sua mochila e rever seus conceitos? Você precisa MESMO levar esse secador de cabelo? 😉

Gastos anteriores à viagem

Eu já contei um pouco num dos posts anteriores sobre o nosso orçamento para esse mochilão. Aqui focarei um pouco mais nos nossos gastos antes da viagem.

Vacinas
Vacina de hepatite A (2 doses de R$100 cada) e febre tifóide (R$70). A vantagem é que depois que você se vacinar contra hepatite A, estará protegido para sempre.
Aqui já temos R$270 só com as vacinas.

Seguro de Viagem
Vamos fechar o plano do Itaú, dá aproximadamente R$ 500 pelos 140 dias que vamos viajar.

Passagens
Compramos com antecedência e conseguimos por um bom preço na minha opinião, R$ 2.600.

Procuração
Vamos deixar uma procuração para os nossos pais caso aconteça alguma coisa no Brasil que não possamos resolver. Em Curitiba o R. gastou cerca de R$ 70 numa procuração geral, já em São Paulo a brincadeira não sai por menos de R$ 150,00.

Remédios
Não esperávamos gastar tanto com isso, mas gastamos aproximadamente uns R$ 130,00 com os remédios e o kit de primeiros socorros. Dá uma dorzinha no coração ter que gastar tanto com uma coisa que esperamos não ter que usar…

Bugigangas de toda sorte
Mochilas, roupas, tênis, máquina digital, capa para netbook, óculos de sol, pen drive, remédios e muito mais. Talvez você precise comprar algumas coisas antes de viajar, mas lembre-se que sempre há a possibilidade de comprar alguns dos itens pelo caminho que podem acabar saindo mais barato.

Outros gastos que você deve considerar
– passaporte (ou renovação de passaporte)
– vistos que você queira tirar antes (o japonês por exemplo que só pode ser tirado no país de origem)
– fotos 3×4 e 5×7 de reserva (caso vá tirar vistos em outros países como no Camboja por exemplo)
– guias de viagem
– cópias de segurança de seus documentos

Links para sua viagem (parte I)

Aqui vocês vão encontrar uma série de links úteis que podem te ajudar bastante antes e durante seu mochilão. Os sites são todos em inglês.

Tripline
Esse site ajuda você a construir sua rota num mapa, onde você pode acrescentar suas próprias notas e observações em cada trecho. Para ver a rota que nós estamos montando clique aqui.

http://www.tripline.net/

Delicious
Não é exatamente um site voltado para viagens mas você pode usá-lo a favor da sua viagem. Imagine que você pode acessar os links da sua barra de favoritos de qualquer lugar… Assim é o Delicious. Nós criamos um Delicious especialmente para a nossa trip da Ásia onde salvamos todo o tipo de link útil relacionados à viagem, sites de consulados, de linhas de trem, cursos de culinária na Ásia, companhia aéreas… Quando você salva um link no Delicious você pode inserir palavras-chaves para cada link e depois pode acessá-los no menu à direita. Você pode também acessar nossos links favoritados no Delicious clicando aqui.

http://www.delicious.com

Subway maps
O site de fácil navegação apresenta mapas de metrô de várias cidades do mundo e tem uma opção para que você possa imprimir esses mapas.

http://www.amadeus.net/home/new/subwaymaps/en/index.htm

Convert World
Pirei demais nesse site! Você pode converter de tudo nele… moedas, medidas de roupa, de calçados, medidas de distância, peso, tempo, velocidade… Aliás a conversão de moedas não podia ser melhor, já que converte para todas as outras moedas em uma página só.

http://www.convertworld.com/en/

Sleeping Airports
Bem amigos mochileiros, às vezes acabamos de chegar no aeroporto da cidade em plenas 3h da manhã e não queremos pegar um taxi, ou temos aquele derradeiro voo em horários bizarros do tipo, 6h da manhã e não queremos gastar nosso prezado dinheirinho para passar só algumas horas em um hostel… Sim, dormir nos aeroportos é bem comum, já dormi num aeroporto em Paris (com direito a queijo e vinho) e num aeroporto da Bolivia (com direito a assistir clips bizarros na TV de madrugada). Aí está o Sleeping Airports para quem acha que dormir no aeroporto é uma arte. O site lista os melhores e os piores aeroportos para dormir, tem depoimentos de viajantes, dicas de onde é mais confortável dormir… sensacional!

http://www.sleepinginairports.net/

Maps Nation Masters
Esse site tem mapas de países, de cidades… de tudo… E não só isso… além de mapas detalhados das cidades, tem também mapas mais específicos com densidade populacional, línguas faladas, etc… Não sei quão atualizados estão esses mapas, mas talvez eles possam te ajudar quando você estiver rascunhando suas rotas. Encontrei no site esse mapa da China super interessante indicando que roupas levar em sua viagem dependendo da região e da época que você vai visitar. É uma pena que nem todos os países tenham tantos mapas diversificados, como é o caso do Brasil.

http://www.nationmaster.com/countries.php

Saúde: Fica a dica!

Ainda no Núcleo de Medicina do Viajante, falando com o Dr. Jesse, ele nos passou alguns cuidados que deveríamos ter com nossa saúde durante a viagem. Confesso que enquanto ele falava eu pensava: Perai… eu to indo viajar ou to indo para algum campo de batalha? Mas vou falar que vale muito a pena vocês marcarem uma consulta em um ambulatório do viajante porque caras te explicam direitinho tudo o que você pode fazer… Com vocês…

Dicas de Saúde (by Doctor Jesse)

humm parece nome de programa de televisão =)


NO AVIÃO
Voo longo vocês já sabem que o risco de trombose é grande. Ele também alertou que no caso de mulheres que tomam contraceptivos esse risco é maior ainda. Por isso o de sempre: Não ficar por horas parado sentado dormindo, sempre dar uma levantadinha, uma voltinha pelo avião… tentar sempre fazer alguns movimentos.

ÁGUA
Sempre dar prioridade para água mineral na garrafinha lacrada. Evitar gelo nas bebidas já que você não sabe de onde vem a água do gelo. Para evitar contaminação da água você pode ferve-la ou em casos muito extremos utilizar aquelas pastilhinhas de cloro ou iodo. Ele disse que iodo é melhor, daí só ler na embalagem a quantidade do produto para filtrar cada quantidade de água. Recomenda-se também dar preferência à água com gás.

COMIDA
Evitar comida crua, ou tudo o que não tenha sido cozido/fritado/assado… tudo o que não tenha sido submetido à altas temperaturas. Espetinho de escorpião frito pode? Pode! Saladinha de alface? Melhor pensar duas vezes. Como disse Dr. Jesse “Boil it, peel it, cook it, or forget it!”.

MOSQUITOS
Infelizmente não temos vacinas contra Malária ou Dengue. O que fazer? A melhor forma é se prevenir com repelentes, mosquiteiros e a roupa do corpo. Ele fez cara feia para os repelentes ordinários e nos recomendou o Exposis Extreme que parece que é mais eficaz e dura mais tempo – além de ser mais caro, óbvio (e ter cara de energético). Como não dá pra levar um estoque desses nem saber se vamos encontrá-lo por lá, ele disse que sempre devemos procurar por repelentes que contenham Icanidina ou com DEET maior que 30% (não faço ideia do que isso signifique mas estou confiante de que baterei os olhos na embalagem e encontrarei algo que remeta a isso rs…). Ah, e ele disse que esse negócio de tomar complexo B pra espantar mosquito é balela, hein!

Bem, se vocês tiverem mais algumas dicas vou ficar feliz em acrescentá-las a esse post 😉

Vou de vacina

– Alô?
– Bom dia… eu queria marcar uma consulta no Núcleo de Medicina do Viajante…
– É aqui mesmo. Você vai viajar para onde?
– Para a Ásia… Tailândia, Vietnã…
– Ih minha filha, vai ter q tomar um monte de vacina! Você vai quando?
– Em fevereiro do ano que vem…
– Nossa, você está de parabéns! O pessoal liga sempre aqui um dia antes de viajar! Olha, tá de parabéns mesmo!

Esse foi o diálogo que rolou com a fofa da Cida quando liguei para o Núcleo de Medicina do Viajante do Hospital Emílio Ribas (que fica em São Paulo), 7 meses antes da viagem. Além de ter ficado muito feliz  pelo fato de ter a minha antecedência e planejamento elogiados (rs…), abri esse texto sobre vacinas com esse diálogo para mostrar a importância de não deixar as vacinas para última hora. Como diria minha amiga Paty, “tem que ver issae!”.

Eu sou bem chata mesmo com esse negócio de planejar viagem porque não quero que dê merda depois… não estou falando de seguir um plano à risca, mas estou falando de certos cuidados que são essenciais e que não podem ficar em aberto, como as vacinas e o seguro de viagem por exemplo… ou será que uma xícara de porcelana chinesa não é uma lembrança muito mais agradável do que uma hepatite B, hein? (nossa, peguei pesado nessa! haha).

Sendo assim, eu e R. marcamos um horário e lá estávamos nós hoje de manhã. O médico (o nome dele era Jesse) foi super fofo, ficou uma meia hora explicando não só sobre as vacinas como também sobre outros cuidados que devemos ter para não ficarmos “fora de combate” – como disse ele, rs… Algumas das vacinas são oferecidas de graça pelo governo e nós tomamos lá mesmo, como a de tétano por exemplo. Outras infelizmente são só oferecidas por clínicas/hospitais/laboratórios privados como a vacina da raiva por exemplo. Pois é, tem que pagar. =/

Lembrando que para os países que vamos visitar é necessário apresentar o Certificado Internacional de Vacina de Febre Amarela. Sem isso ou você não entra no país ou vai ser extorquido para poder entrar. Para descolar esse Certificado Internacional você deve tomar a vacina da febre amarela e depois levar o comprovantezinho até um posto da ANVISA, é totalmente de graça. Saiba mais sobre o Certificado Internacional de Vacina de Febre Amarela aqui. Abaixo uma tabela com os países que exigem esse Certificado.

É importante também se ligar nas vacinas com antecedência, a de hepatite A/B por exemplo, você deve tomar uma dose, depois de 1 mês outra dose e depois de 6 meses mais uma dose.

Minha recomendação é que você vá até algum Centro de Medicina do Viajante e converse com o médico sobre sua rota, o tempo que vai ficar, assim ele pode te indicar direitinho as vacinas e as preucações que devem ser tomadas em cada lugar. Aqui estão alguns endereços úteis:

Núcleo de Medicina do Viajante do Hospital Emílio Ribas
Atendimento deve ser agendado através do (11) 3896-1366.
Avenida Dr. Arnaldo, 165 – São Paulo – SP.

Ambulatório do Viajante no Hospital das Clínicas
Telefone: (11) 3069-6392.
Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255 – São Paulo – SP

Cives (Centro de Informações em Saúde para Viajantes) do Hospital Universitário da UFRJ
Telefone (21) 2562-6213
Cidade Universitária, Ilha do Fundão – Rio de Janeiro – RJ

No site da ANVISA, você encontrará uma lista das unidades de vacinação da ANVISA em todos os Estados do país.

DICAS:

– A vacina de hepatite B pode ser tomada de graça nos postos de saúde do governo caso você tenha até 24 anos (ufa, meu caso, que sorte!). Parece que eles estenderam essa “promoção” até os 28 anos, mas quando fui no Instituto Pasteur – em São Paulo – eles não tinham informações sobre isso e só ofereciam de graça até os 24 anos, já o Hospital Emílio Ribas oferecia de graça até os 28 anos. A vacina de hepatite B é administrada em 3 doses dentro de um período de 6 meses, por isso você deve ver isso com bastante antecedência.

– A vacina de hepatite A é paga e deve ser tomada em clínicas particulares. Você pode optar por tomar a vacina que combina hepatite A+B, administrada em duas doses. Mas nesse caso você tem que pagar também por essa vacina combinada. Caso você tenha até 28 anos, compensa mais você tomar a vacina para hepatite B de graça nos postos de saúde pública (caso você tenha até 28 anos) e a A nas clínicas particulares, já que a dose combinada A+B é mais cara do que se você tomar apenas a A. Por exemplo, eu fiz uma consulta no Delboni Auriemo, a vacina que combinava A+B custava R$ 130 (cada dose) e a vacina para hepatite A custava R$ 94. Então vou tomar a B de graça e pagar pela A (2 doses, custando R$ 94 cada)